Seguidores

Encomenda - Cecília Meireles

Desejo uma fotografia
como esta – o senhor vê? – como esta:
em que para sempre me ria
com um vestido de eterna festa.

Como tenho a testa sombria,
derrame luz na minha testa.
Deixe esta ruga, que me empresta
um certo ar de sabedoria.

Não meta fundos de floresta
nem de arbitrária fantasia…
Não… Neste espaço que ainda resta,
ponha uma cadeira vazia.


2 comentários:

  1. Suave Cecília, Suave Nádia...
    Adoro este poema. Obrigada.
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, amiga!
    Sua presença e comentário enriquecem este canto de poesia.

    Beijos :)

    ResponderExcluir