Seguidores

Parábola do andarilho - César de Araújo

Pois seu destino era estender o braço
de mãos repletas do ouro da alegria
compondo a vida sobre cada passo
calcado além do chão de todo dia.

Delineou no peito o próprio traço
dos caminhos de amor que seguiria
e não se esvaziava seu regaço
pois quanto mais se dava, enriquecia.

Não tinha tempo nem lugar descrito
para fazer cessar a caminhada
de eternidade que ele foi criando.

E compreendeu que o mundo era infinito
no tráfego de amor da própria estrada
e que chegar é sempre estar andando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário