Seguidores

Traduzir-se - Ferreira Gullar


Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
— que é uma questão
de vida ou morte —
será arte?


4 comentários:

  1. Beautiful poem.
    Lene from Norway

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Nádia, seu blog tem um toque de inspiração nos meus versos, então tem um selinho no meu blog para ti, bjus (Apenas eu... em um Rascunho http://apenaseuemumrascunho.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  3. Kaline, fico feliz pelo "toque de inspiração" e pelo selinho. Obrigada...

    Beijos :)

    ResponderExcluir