Seguidores

Sugestão - Cecília Meireles

Sede assim – qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Flor que se cumpre,
sem pergunta.

Onde que se esforça,
por exercício desinteressado.

Lua que envolve igualmente
os noivos abraçados
e os soldados já frios.

Também com este ar da noite:
sussurrante de silêncios,
cheio de nascimentos e pétalas.

Igual à pedra detida,
sustentando seu demorado destino
E à nuvem, leve e bela,
vivendo de nunca chegar a ser.

À cigarra, queimando-se em música,
ao camelo que mastiga sua longa solidão,
ao pássaro que procura o fim do mundo,
ao boi que vai com inocência para a morte.

sede assim qualquer coisa
Serena, isenta, fiel.

Não como o resto dos homens.

4 comentários:

  1. Lindo todo o blog, as imagens então...
    Amei, literatura, poesia e arte, tudo a ver!!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Sandra.
    Seja bem-vinda :)!
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. lilian baueroutubro 09, 2012

    o doce se perder......num espaço poesia onde se ganha ar vida beleza ser sem precisar ter.....

    ResponderExcluir
  4. Lindas palavras, Lilian Bauer.
    Obrigada pela visita e comentário.

    Seja bem-vinda!

    Beijos :)

    ResponderExcluir