Seguidores

A folha viva - Fiama Hassa P. Brandão


Matem-se o ramo vivo
Da verdura. A folha
Cai, repõe-se, a copa reverdece,
O seu volume sobe.
Nada é efêmero
Sob o tom da luz. Tudo
Retoma a folha, tem recorte,
O seu pecíolo verde ou outra forma.
Cai a folhagem, tinge todo o chão.
Ou, possuída a terra, ela persiste
E é perene a queda
De uma árvore,
Depois o surto,
E tudo convergente, se mantém.

2 comentários:

  1. Oi Nádia... Saudades! Lindo poema
    ..."Nada é efêmero
    Sob o tom da luz. Tudo
    Retoma a folha, tem recorte,
    O seu pecíolo verde ou outra forma"...
    Feliz dia dos Namorados!!!! Muitos beijinhos bye bye

    ResponderExcluir
  2. Obrigada!!!
    Ótima semana pra você.
    Beijos :)

    ResponderExcluir