Seguidores

Poema da solidão - Glória de Sant'Anna



Serei tão secreta
como o tecido da água

e tão leve

e tão através de mim deixando passar
toda a paisagem

e todo o alheio pecado
do gesto, da presença ou da palavra

que logo que a tua mão me prenda
me não acharás:

serei de água.

Um comentário:

  1. Fulgás como correnteza. Muito lindo. Uma ótima semana. bjs.

    ResponderExcluir