Seguidores

O destino - H. Dobal



No campo do azul vem o verão
plantar as suas nuvens.

Na cidade imperfeita
vem o dia
plantar a sua luz:
No mármore morto
dos viadutos.
No verde novo
depois das chuvas.
Na cinza que ameaça os monumentos.

Num lance de dados se planta o destino.
O destino: a previsão da náusea dos espaços.
O destino
destruidor de nuvens.
O destino
levando vantagem.


Um comentário:

  1. Ei querida!
    Adorei a poesia.Linda
    Que sua semana seja de paz.
    Gd beijo

    ResponderExcluir