Seguidores

São mil coisas impressentidas - Manoel se Barros



São mil coisas impressentidas
Que me escutam:
O movimento das folhas
O silêncio de onde acabas de voltar
E a luz que divide o corpo do nascente...

São mil coisas impressentidas
Que me escutam:
São os pássaros assustados, assustados,
Tuas mãos que descobrem o convite da terra
E os poemas como ilhas submersas...

São mil coisas impressentidas
Que me escutam:
Sou eu apreensivamente
Solicitado pela inflorescência
Redescoberto pelo bulir das folhas...

5 comentários:

  1. De Manoel de Barros foi publicado em Portugal, há pouco tempo, o volume Poesia Completa, que condensa várias das suas obras. Ainda não me chegou à mão, mas é uma obra a não perder.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Não mesmo, AC. Ele trouxe para mim muitas "invenções" e o encantamento das palavras.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  3. São mil coisas...simples, silenciosas...
    Sempre bom ler Manoel de Barros.
    beijos querida amiga

    oa.s

    ResponderExcluir
  4. É sempre um prazer receber sua visita e comentário, amiga.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  5. As poesias de Manoel de Barros são puros encantamentos, ou encantaventos ou encantanós.bjs

    ResponderExcluir