Seguidores

Poema 6 - Inez Andrade Paes


chegaria sem ti
se a estrada não fosse tão longa
e ao longe não visse senão
o horizonte a tremer

meu andar confunde-se com a poeira
entre passadas duras a cambar
de desespero por te encontrar

chegaria sem ti
se a estrada não fosse tão longe
com pedras de bicos entre meus ossos
e o capim raso e seco sem chuva a amaciar

gostava de chegar até ti
se a estrada não fosse tão comprida
como o fio de arame que desenrola
sem curvas visíveis e outras a apertar

chegaria até ti
se a estrada não prendesse meu cabelo
nos ramos do embondeiro e me quisesse lá

chegaria por ti
assim a estrada abrisse
para começar a andar

chego até ti
mas não te vejo
para recomeçar

4 comentários:

  1. Adorei! Maravilhoso! Bjs,

    Eliziane

    www.genuinoblogdaeli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Inez Paes, o meu agradecimento a você pelo presente - o seu livro "Paredes abertas ao céu" e os livros de Glória de Sant'Anna "Trinado para a noite que avança", " E nas mãos algumas flores".

    Mãe e filha, grandes poetas!

    Abraços e o meu carinho.
    Nádia

    ResponderExcluir
  3. Nádia obrigada.
    O meu carinho também para si.
    Beijos e felicidades,
    Inez

    ResponderExcluir