Seguidores

Uma perda - Artur da Távola



A Carlos Drummond de Andrade

No meio do caminho tinha uma perda.
Tinha uma perda no meio do caminho.
Tinha uma perda.
No meio do caminho tinha uma perda.

Primeiro a irmã depois o pai.
Não sabia que no meio do caminho
tinha a perda do paraíso
que me fez bravo.
Fui só, fui eu,
fui vida a partir da perda
que me estava destinada
no meio do carinho
de minha mãe solitária.

Fui perda de mim mesmo
procurado por toda a vida
até que achado no poema
do meu hoje encanecido.

Tudo porque
no meio do caminho tinha uma perda.
Tinha uma perda no meio do carinho.

3 comentários:

  1. Não murmures pela perda no meio do caminho. Tente achar no meio da perda um caminho. Muito criativo. Gostei! Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa homenagem a Drummond. Aprendo muito neste blog. Obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade as perdas podem ser portas para novos caminhos novos encontros e achados. Bom fim de semana Nádia.

    ResponderExcluir