Seguidores

Expressão - Graça Pires


Dentro da curva inesperada
 dos meus braços,
 transbordam os gestos
 numa espiral imperceptível.

 Nas pontas dos meus dedos
 se alonga a neblina
 que deriva do inverso da loucura
 quando prendo nos dentes
 a superstição da lua
 ou esboço no riso
 a cumplicidade dos espelhos
 timidamente transparentes
 para dizer que só pelo silêncio
 se vence o labirinto das palavras
 e se mede a solidão.



Um comentário:

  1. A poesia é a expressão da alma, o sentir do corpo. Que as palavras nos abracem, sempre.

    Beijinho Nádia, desculpa a ausencia.
    Bom Ano Novo.

    cecilia

    ResponderExcluir