Seguidores

Asas - Fernanda de Castro

Eu tenho asas!
Piso o chão como pisa toda a gente
mas tenho asas
de impalpável tecido transparente,
feitas de pó de estrelas e de flores.
Asas que ninguém vê, que ninguém sente,
asas de todas as cores.
Pequenas asas brancas que me afastam
das coisas triviais
e as tornam leves, fluídas, irreais
- pólen, nuvem, luar, constelações,
irisados cristais.
Asa branca minha alma a palpitar,
bater de asas o doce ciciar
de pálpebras e cílios.
Ó minhas asas brancas de cetim!
Revoadas de pássaros meus sonhos,
Meus desejos sem fim!


2 comentários:

  1. Fico a imaginar se cada ser humano tivesse as belas asas do poema, esse mundo seria um céu. cia
    Beijos, Nádia,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  2. Seria maravilhoso, um paraíso!

    Bom domingo, Lúcia!

    Beijo :)

    ResponderExcluir