Seguidores

Homilia - Adélia Prado

 Quem dentre vós
dirá convictamente:
os alquimistas morreram
- aqueles simples -
morreram os conquistadores,
os reis
os tocadores de alaúde,
os mágicos.
Oh, engano!
a vida é eterna, irmãos,
aquietai-vos, pois, em vossas lidas,
louvai a Deus e reparti a côdea
o boi, vosso marido e esposa
e sobretudo
e mais que tudo
a palavra sem fel. 


4 comentários:

  1. Os alquimistas moreram, mas não tem que morrer a palavra. Sem fel.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. A palavra sem fel! Muitas vezes me culpo pela palavra com fel. Mesmo sem a intensão de ser, sendo.
    e quando vejo que azedou. corro com o mel. As vezes é tarde as vezes não.
    LINDO!!
    bjs.

    ResponderExcluir
  3. "Repartir a palavra sem fel" neste tempo de tantas indelicadezas. Precisamos da palavra que acolhe e abriga. Como estas que lemos em seu blog. Obrigada por nos ajudar a viver! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Eloí!
    Palavras carregadas de carinho...

    Abraço :)



    ResponderExcluir