Seguidores

Palavras - Manoel de Barros


Palavra dentro da qual estou há milhões
de anos é arvore.
Pedra também.
Eu tenho precedências para pedra.
Pássaro também.
Não posso ver nenhuma dessas palavras que
não leve um susto.
Andarilho também.
Não posso ver a palavra andarilho que
eu não tenha vontade de dormir debaixo
de uma árvore.
Que eu não tenha vontade de olhar com
espanto, de novo, aquele homem do saco
a passar como um rei de andrajos nos
arruados de minha aldeia.
E tem mais uma: as andorinhas,
pelo que sei, consideram os andarilhos
como árvore.


4 comentários:

  1. "E tem mais uma; as andorinhas, pelo que sei, consideram os andarilhos como árvore"

    Oi Nádia, Bom dia !É uma riqueza esse poema de Manoel de Barros! A natureza integrada, uma cadeia da simplicidade. O ser e o ter. Quem é mais natureza,tem a felicidade.
    Quero te desejar uma Feliz Páscoa na Santa paz de Cristo,
    Passei anteriormente pra felicita-la pelo aniversário, não sei se você ainda não publicou, ou se aconteceu algo e não publiquei direito. Só queria registrar que não me esqueci.PARABÉNS!!!
    Queria te pedir licença para levar esse poema e postar lá no Suave e Natural, achei muito lindo!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Querida Nádia, adoro Manuel de Barros e com seus poemas continua muito vivo sempre.uma llinda semana.bjs

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela presença e comentário, Eliete e Lourdinha!
    Vocês enriquecem o "docecomoachuva".

    Lourdinha, fique à vontade para levar o que quiser. E obrigada... vi agora suas felicitações. Estes dias não abri o blog.

    Beijos com carinho :)

    ResponderExcluir
  4. Feliz semana, Eliete e Lourdinha!
    Beijos

    ResponderExcluir