Seguidores

Os mais velhos - José Saramago


São de pedra, os mais velhos. Ermos, sós.
O gesto hirto. As mãos perdidas
Da remota brandura, como pranto
Vidrado e recolhido, água rasa:
Nada o mundo vos deu: (sois vós, e basta).
Inocente da morte que aceitais,
Recolho dessas mãos de cardos secos
A herança dos nardos imortais.


2 comentários:

  1. Já há uns tempos que por aqui não passava. E, pela qualidade, constante, das postagens, sempre pertinentes e de muito bom gosto, fui eu que fiquei a perder.
    Regressar com Saramago talvez seja um bom augúrio.

    um beijinho, Nádia :)

    ResponderExcluir
  2. Senti saudade de sua presença.
    Você sempre deixa um pouco de poesia aqui no blog.
    Agradeço pela visita e comentário.

    Beijos, AC :)

    ResponderExcluir