Seguidores

Passarinho - Henriqueta Lisboa

Passarinho não canta,
Passarinho não come,
passarinho não bebe.

Passarinho anda triste.

O que foi passarinho?
Mudas as penas, tens febre?
Não te dou alface, alpiste,
água clara? O companheiro? ...

Passarinho quieto, quieto,
nas próprias asas se esconde.

O companheiro levou-te
a voz, a garganta, o bico ?

Enterraram-se com ele

no lodo negro as escalas
aéreas de trampolim,
as teclas, o arco, o violino
e o piano de tua musica?

Era dele que te vinha
a auréola, o entono, o donaire
com que a cabecinha erguias
a esfuziar azougue, prata
liquida, com volutas
e arabescos de medalha?

Era dele que te vinha
o frêmito de ouro, o gozo
de jóia, pérola a perola
no aveludado dos trinos?
o arrepio de carícia
longo, fino, contagioso
de lua, de cisnes, de água
descendo, em fio, a colina?

Era dele que te vinha
tudo isto, o sol, as estrelas
o brilho do canto, as quentes
auroras na areia, ao vento
as espigas ondulando,
musgos nascendo nas pedras,
campos abertos, batidos
de lavoura, nas soalheiras?

Era dele que te vinha
aquele vinho furtivo
na espessura da folhagem
verde-jalde chuva, arco-íris
de paina tênue, delícia
de malvas brotando,
sombra de cílios no rosto, espera
do que vem trêmuloi e próximo? ...

Passarinho quieto, quieto.


Um comentário:

  1. Magnifico.O Canto ocultado do pássaro cedeu lugar à sonoridade melancólica do poema.
    Amei.
    Bjs. minha amiga Nádia tenha um lindo final de semana.

    ResponderExcluir