Seguidores

Crise - Fernando Py



O horizonte encoberto. Nuvens agridem.
Blasfêmias elevam-se, caem.
Os cavalos soltos nas planícies, nitridos,
Crinas galopando na névoa, superfície quebrada,
cascos, ânsia no duro pisar, levantando ódio,
negrume, os cavalos.

Os cavalos: as patas, o pescoço intumescido,
Veias saltando, os cavalos são dor
- angústia presa devastando o horizonte encoberto.
Cinza na boca, sombra e fezes, garra sobre o peito,
vertigem no planeta rubro e em sua aurora.

Os cavalos: neles, golpeando o horizonte encoberto,
Vejo a terra imóvel sob nuvens
- pureza que já não é,
Mas sorrindo na treva, campina
onde os cavalos cairão.
Diviso (planeta rubro) a aurora clara
- centelha mínima da noite
na terra ainda paraíso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário