Seguidores

Apelo - Miguel Torga


Porque não vens agora, que te quero
E adias esta urgência?
Prometeste-me o futuro e eu desespero
O futuro é o disfarce da impotência....

Hoje, aqui, já, neste momento,
Ou nunca mais.
A sombra do alento é o desalento
O desejo o limite dos mortais.


3 comentários:

  1. Quando o "esperar"se torna lindo e mágico"na poesia. Quando a imagem fala e até canta, e eu aqui me encanto.Maravilha!! Um lindo domingo,Nádia.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Lourdinha.
    Sua presença enriquece o blog.

    Feliz semana!

    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Nádia, por suas lindas palavras e seu carinho de sempre.bjs.

      Excluir