Seguidores

Pequenas coisas - Albano Martins

Falar do trigo e não dizer
o joio. Percorrer
em voo raso os campos
sem pousar
os pés no chão. Abrir
um fruto e sentir
no ar o cheiro
a alfazema. Pequenas coisas,
dirás, que nada
significam perante
esta outra, maior: dizer
o indizível. Ou esta:
entrar sem bússola
na floresta e não perder
o rumo. Ou essa outra, maior
que todas e cujo
nome por precaução
omites. Que é preciso,
às vezes,
não acordar o silêncio.



2 comentários:

  1. Muito lindo e profundo este poema.
    `Foi muito bom passar aqui o no Ano de 20l3, colher o trigo e fermentar o pão da amizade.
    Um lindo 20l4 pra você Nádia,
    Foi um prazer imenso estar aqui. bjs.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Lourdinha!
    E foi maravilhoso ter você aqui em meu cantinho de poemas.
    Pra você um brinde especial. Desejo - lhe um Novo Ano repleto de paz,
    saúde, amor e alegria ... Com muitos sonhos e poesia!!!

    Beijos e feliz 2014!

    ResponderExcluir